Nos pênaltis, São Paulo Crystal vence, vai para semifinal, e coloca até 2022 do eliminado Treze em risco

Na noite de quinta-feira (27), Treze e São Paulo Crystal decidiram quem seria semifinalista do Paraibano enfrentando o Sousa. Após 90 minutos de jogo equilibrado, mas morno, a decisão da vaga foi para os pênaltis após empate por 0 a 0. E aí o Carcará venceu a disputa das penalidades por 5 a 3, se garantiu nas semifinais e eliminou o Galo, que vive um drama. Caso não consiga o acesso na Série D, terá apenas o estadual no calendário do ano que vem.

Começando sua jornada como treinador trezeano, Tuca Guimarães promoveu várias mudanças, algumas por opção, outras por desfalques. Sem Rômulo e Adriano Alves, Euller Viana precisou estrear na zaga. Com a lesão de Emerson, Bruce foi para a lateral-esquerda e no meio-campo, Júlio Ferrari foi escalado aberto pela direita, com Ferrugem assumindo a lateral. Além disso, Rômulo perdeu a vaga para Levi, que fez sua estreia na proteção à defesa dois dias após ter sua contratação anunciada.

Por sua vez, Ramiro Souza optou por um tricolor mais comedido na defesa, optando por colocar Léo Henrique, volante, na vaga do atacante Henrique, que desfalcou o time.

Quem chegou assustando primeiro foi aos 13 minutos, mas foi o São Paulo Crystal. Biro Biro invadiu a área e achou bom passe para Isaías, que saiu na cara de Jeferson e bateu cruzado, mas o goleiro se colocou na frente da bola, que bateu nele e foi para escanteio.

Com muita chuva e nebilna em Campina Grande, o gramado do Amigão ficou escorregadio e, aos 34 minutos, Guilherme tentou se aproveitar disso e cobrou falta para o Carcará de muito longe direto para a meta de Jeferson. A bola quicou no piso de jogo, ganhou velocidade, o camisa 1 trezeano bateu roupa, mas a defesa afastou o perigo na sequência.

O Treze, dono da casa, praticamente não assustou. As raras finalizações foram em chutes de Birungueta de fora da área que não levaram perigo algum ao gol de Nunes.

Foto: Rafael Costa

Segundo tempo

Para a volta do intervalo, o treinador alvinegro, para melhorar o rendimento ofensivo de sua equipe, colocou Vitor no lugar de Jairinho, que praticamente não participou do jogo.

Mas apenas aos 17 minutos o Galo assustou. Como no primeiro tempo, em um chute de fora da área de Birungueta, que o goleiro do São Paulo Crystal precisou espalmar para escanteio.

Por muito pouco o tricolor não abre o placar. Aos 26, Gustavo cobrou falta da direita, a bola desviou no zagueiro Marlon e por muito pouco ela não foi contra o próprio patrimônio. Na cobrança de escanteio, após muita confusão, a bola sobrou na direita para André Ferreira, que cruzou na área, Cleiton subiu para todo mundo e a bola mais uma vez tirou tinta do poste esquerdo de Jeferson.

Aos 30 minutos, após cobrança de falta de Vitor, Nunes defendeu e, no rebota, Birungueta foi derrubado na área por Cleiton e Afro Rocha marcou pênalti para o Galo. Na cobrança, aos 32, o próprio Birungueta, artilheiro do estadual, tirou de Nunes, mandando no canto esquerdo do goleiro, que caiu para o outro lado, mas chutou a bola para fora.

Em nova cobrança de falta, aos 36, Gustavo, lateral do São Paulo Crystal, cobrou da meia direita e a bola passou muito perto do poste direito de Jeferson, que ainda tocou na bola para que ela fosse para escanteio.

Dois minutos depois, a resposta alvinegra. Vitor chutou da entrada da área e a bola bateu na trave adversária, gerando a melhor chance de gol do jogo, com exceção do pênalti.

Pênaltis

Pelo Galo, Vitor fez, Fernandinho perdeu, Bruce fez e Marlon fez.

Já pelo Carcará do Engenho, Leandro Cearense marcou, Gustavo marcou, Léo Henrique marcou, Biro Biro marcou e Augusto Recife marcou.

Ficha técnica

Treze 0 x 0 São Paulo Crystal (pênaltis 3 x 5)

Repescagem para a semifinal
Estádio: Amigão (Campina Grande)

Arbitragem: Afro Rocha; Kildenn Tadeu e Gleydson Francisco.

Gols:
Cartões amarelos: João Leonardo, Birungueta (T); Léo Henrique, Robert, Augusto Recife, Cleiton (S)

Treze: Jeferson, Ferrugem, Marlon, Euller Viana (Vital), Bruce; Levi, João Ananias, Júlio Ferrari (Fernandinho), Birungueta; Jairinho (Vitor) e João Leonardo. Técnico: Tuca Guimarães.

São Paulo Crystal: Nunes, Gustavo, Cleiton, Obede, Guilherme; Augusto Recife, Léo Henrique, Robert (Jailton), Leandro (André Ferreira); Isaías (Leandro Cearense) e Biro Biro. Técnico: Ramiro Souza.

Fonte: Vozdatorcida

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui