Empreendedores inovam para manter vendas aquecidas em mais um São João dentro de casa

Reinventar, reestruturar e inovar. Esse é o caminho que muitos empreendedores estão buscando para manterem seus negócios de pé em meio à pandemia. Na Paraíba, os festejos juninos movimentam a economia e assegura a renda daqueles que trabalham com comidas típicas, produção de roupas juninas e tantas outras opções que a festividade proporciona. Para o deputado estadual e presidente da Frente Parlamentar de Empreendedorismo e Desenvolvimento Econômico da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Eduardo Carneiro, este será o segundo ano consecutivo que pequenos e médios empresários precisarão buscar alternativas para aquecer as vendas nesse período de junho. 

“O São João é um período que movimenta de forma intensa a nossa economia. Mas, com a pandemia, os festejos que acontecem durante o mês inteiro mais uma vez terão outro clima devido e o desafio é manter as vendas apesar de as festas não acontecerem como nós conhecemos. É um desafio! Porém, o paraibano é um povo muito batalhador e com certeza vai conseguir contornar a situação apesar das adversidades”, declarou. 

Atuando no ramo da costura de fantasias e roupas juninas desde 2016, Cristiane Bezerra assegura que o mês de junho é o que promove um aumento nas vendas de roupas temáticas. “O mês junino sobressai as vendas de período carnavalesco e acredito que isso ocorre pelo fato de a festa junina ser um evento tipo e cultural da nossa região, então as pessoas gostam de se caracterizar, sobretudo, as crianças”, afirmou Cristiane.

Apesar de entender que os festejos juninos são responsáveis pelo aquecimento das vendas do produto que oferta, a empreendedora reconhece que a pandemia fez com que ela se reinventasse para continuar vendendo as roupas juninas que produz. “Com a necessidade do distanciamento social eu precisei reorganizar o meu processo de atendimento e garantir que as vendas sejam todas realizadas mesmo que a distância. Então comecei buscando melhorar a comunicação com meu cliente por meio de aplicativos de mensagens e redes sociais, buscando entender a necessidade de cada um no intuito de atender as expectativas e até o momento, graças a Deus, tem dado certo”, declarou Cristiane, que encontrou no ambiente virtual o caminho para seguir com as vendas a todo vapor.

Quem tem também buscado outras formas de manter o cliente é empreendedora Lídia Lacerda. Atuando no mercado de comidas de milho há 10 anos, durante todos os meses do ano, ela destacou que precisou recorrer a outros recursos e teve que inovar. “Ano passado nós inovamos criando o ‘São João na Cesta’ e delivery. Mas este ano a aposta foi investir nas redes sociais e temos tido um resultado positivo”, celebrou. 

Lídia contou ainda que no mês de junho a busca pelos produtos é bem maior e é um período em que precisa contratar pessoal para ajudar na produção. “Este ano contratei três pessoas e nossa produção semanal é de 350 pamonhas e 300 canjicas. Porém, na semana do São João esses números aumentam”, declarou.

Eduardo, que também preside a Secretaria Especial de Empreendedorismo da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), assegurou que o caminho escolhido por Cristiane tem sido uma alternativa para muitos outros empreendedores locais e afirmou que o apoio se faz extremamente necessário. 

“O ambiente digital tem sido o caminho para muitos empreendedores. Mas precisamos seguir apoiando esse público, capacitando e gerando oportunidades para que consigam enfrentar esse período de pandemia sem que haja uma queda nas vendas dessa época que é tão calorosa para o nosso mercado produtor”, defendeu o parlamentar.

Ações – Por meio da Frente Parlamentar, o deputado Eduardo Carneiro já desenvolveu diversas ações com o objetivo de capacitar empreendedores, como o curso de Vendas no Instagram. A iniciativa deve ser levada para outros Estados através da Unale.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui