Marcos Wéric quer reativar força da API: ‘Tem que ser mais que uma fábrica de notas’

Reativar a força da entidade junto à categoria e ser mais que “uma fábrica de notas”. Dois pilares que movem a candidatura do jornalista Marcos Wéric à presidência da Associação Paraibana de Imprensa (API), que encabeça a chapa ‘API Unida e Renovada’, nas eleições que acontecem nos dias 23 e 24 de julho. As declarações foram dadas durante entrevista ao programa Bastidores, da TV Master, comandado por Padre Albeni.

Atento as novas formas de monetização da atividade de imprensa, além da pluralidade de atuação e disseminação de conteúdos noticiosos, Marcos Wéric pretende focar também na capacitação dos associados com cursos nas mais diversas áreas.

“Uma das primeiras ações é firmar uma parceria com o Sebrae para que possamos capacitar os associados com cursos de empreendedorismo. Hoje em dia quase todos os jornalistas são empreendedores. Não aprendemos isso na escola, na universidade, então vamos facilitar esse acesso ao conhecimento”, disse.

Wéric ressalta também que seu grupo buscará oferecer minicursos, oficinas e palestras sobre mídias digitais, abertura de empresas, banco de créditos, entre outros itens, para que o jornalista se atualize a este novo momento da comunicação.

Protagonismo

Com cerca de 1,8 mil associados, a API necessita retomar seu protagonismo junto aos profissionais de imprensa, bem como de toda sociedade paraibana. Wéric destacou o caráter histórico da entidade, relembrando que a API recebeu grandes anúncios políticos, grandes figuras do cenário político e cultural, além de outros fatos marcantes na história estadual.

“A gente não quer ser uma fábrica de notas. Queremos representar o associado, trazer melhorias e capacitação, e só quando for necessário vamos defender o jornalista ou o profissional de imprensa. Não tergiversaremos, nos posicionaremos a favor do profissional, prezando pela liberdade de imprensa sempre”, afirmou Wéric.

De acordo com o jornalista, o que desperta sua motivação para candidatar-se é a paixão pelo jornalismo e por reavivar o sentimento da representação de classe. “O que me move é a paixão pelo jornalismo, recebi o convite de um grupo de amigos, me fizeram essa convocação para assumir a candidatura. Já militava na entidade e tinha um pensamento dentro de mim de que um dia gostaria de ser presidente da API”, destacou Wéric.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui