Os Cabeças do Congresso: Efraim Filho é escolhido pelo DIAP como um dos parlamentares mais influentes do Brasil

O deputado federal Efraim Filho (DEM-PB), pela 6ª vez consecutiva, figura entre os 100 parlamentares mais influentes do parlamento brasileiro. O reconhecimento, dado pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP), analisa uma série de atributos que vão desde a capacidade de conduzir debates, votações e articulações, à construção e projetação de propostas legislativas no Parlamento

O ranking, anunciado nesta sexta-feira (27/08), foi elaborado a partir de votação realizada apenas pelos 100 “Cabeças” do Congresso, definidos pelo próprio DIAP em agosto deste ano e, mais uma vez, o Nordeste é a região que mais tem representantes nesta edição. Só a Paraíba tem seis parlamentares influentes, sendo Efraim o destaque por sua atuação firme e coerente à frente da liderança dos Democratas na Câmara dos Deputados.

Entre os atributos que caracterizam um protagonista sendo representado como “articuladores/organizadores”, Efraim ganha destaque no excelente trânsito das diversas correntes políticas, cuja facilidade de interpretar o pensamento da maioria os credencia a ordenar e criar as condições para o consenso. Interlocutores dos líderes de opinião encarregam-se de difundir e sustentar as decisões ou intenções dos formadores de opinião, juntando uma massa de apoio à iniciativa dos dirigentes dos grupos políticos a que pertencem. E por fim, têm livre acesso aos bastidores, ao poder institucional e alto grau de fidelidade às diretrizes partidárias ou ideológicas do grupo político que integram.

“Para mim, estar mais uma vez nesta importante lista do DIAP, é um forte desafio e um estímulo que recebemos pela nossa atuação. É uma honra ganhar esse destaque pela 6º vez consecutiva. Isso representa o reconhecimento do nosso trabalho ao longo do mandato”, pontua Efraim.

Neste ano, de acordo com a pesquisa do DIAP, a escolha dos parlamentares mais influentes foi impactada por dois episódios, ambos decorrentes da pandemia, que levou ao isolamento social: o primeiro foi a adoção do sistema remoto de deliberação e o segundo foi o início da instalação das comissões permanentes da Câmara dos Deputados, em meados de março, que se estendem até abril.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui