‘Xeque-Mate’: prefeito e duas ex-vereadoras de Cabedelo são denunciados pelo MPPB

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público da Paraíba, apresentou nesta quarta-feira (1º) uma denúncia contra o prefeito de Cabedelo, Vitor Hugo (DEM), e também contra as ex-vereadoras Geusa Ribeiro e Fabiana Maria Monteiro Régis por supostamente terem integrado uma organização criminosa, investigada no âmbito da Operação Xeque-Mate.

A denúncia aponta que os supostos crimes cometidos por Vitor Hugo, teriam sido praticados durante o período em que ele era vereador do município.

O documento indica que o Victor Hugo teria “vendido” o seu apoio político, enquanto membro do Poder Legislativo, para aderir ao grupo do governo do ex-prefeito Leto Viana e da organização criminosa, recebendo dinheiro ilícito.

As articulações entre eles, segundo o MPPB, também teriam contribuído para o gestor assumir o comando da prefeitura, com o afastamento de Leto.

Em nota, a defesa de Vitor Hugo disse que ele “nunca recebeu qualquer valor do ex-prefeito Leto Viana ou fez parte de qualquer tipo de organização voltada para a prática de ilícitos ao longo de sua vida pública”.

Já Fabiana Maria Monteiro Régis é acusada de integrar a organização criminosa liderada pelo ex-prefeito Leto Viana, “para obter, de forma indevida, através da concessão do apoio político cruzado, a satisfação de interesses pessoais, causando com isso danos ao erário”.

Segundo a denúncia, a ex-vereadora faria parte do núcleo político da organização criminosa. Ela também teria tido papel determinante do episódio das cartas-renúncia de vereadores, usadas para cobrar a fidelidade dos apoiadores do prefeito.

Já Geusa Dornelas é denunciada por, na condição de vereadora de Cabedelo, desviar valores relativos aos salários de servidores fictícios em proveito próprio.

“Constatou-se que ela recebeu vantagem indevida (R$ 10.000,00 em parcela única, além de R$ 6.000,00 em duas parcelas) para aderir à base do governo de Leto Viana, de modo a pautar toda a sua movimentação favoravelmente aos interesses pessoais do então prefeito”, diz a denúncia.

G1 não conseguiu contato com as denunciadas até a publicação desta matéria.

Pedidos do Ministério Público

O Ministério Público pede na denúncia a perda de cargo, emprego, função pública ou mandato eletivo dos denunciados e a devolução de R$ 49,34 milhões a título de reparação de danos moral e coletivo, referentes ao montante de outras nove ações penais instauradas em razão dos crimes cometidos pela organização criminosa investigada pela Xeque-Mate.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui