Prefeito de Gado Bravo, na PB, é cassado 2 meses após vencer eleição

Marcelo Jorge (PL) teve o cargo de prefeito cassado no município de Gado Bravo, no Agreste da Paraíba. O gestor ganhou as eleições durante votação suplementar em setembro deste ano, após o impedimento judicial imposto ao prefeito eleito Evandro (Cidadania), em 2020. 

O vice-prefeito Cícero Edmarck Araújo do Rego (Cidadania) também teve o mandato cassado. Os políticos também foram considerados inelegíveis pelos próximos oitos anos por abuso do poder político e econômico.

Na decisão, o juiz Jeremias de Cássio Carneiro mencionou a publicação de uma foto nas redes sociais em que é investigada a suposta fraude na contratação de uma empresa de comunicação para realização da campanha.

O político recebeu 3.613 votos (62,58%) contra 2.160 (37,42%) de Fernando Moraes (PP). O pleito para a escolha do novo prefeito ocorreu no dia 12 de setembro e foi autorizado pelo Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB).

Evandro foi eleito em 2020 e não assumiu o cargo por questões jurídicas. Agora, Marcelo Jorge também deixa o cargo depois da suspeita de utilização de recursos públicos na campanha eleitoral da cidade. Antes das novas eleições, Marcelo, então presidente da Câmara de Vereadores, administrou a cidade na ausência de um gestor do executivo. Ele foi um dos candidatos ao cargo e venceu as eleições.

O juiz Jeremias de Cássio cassou o mandato da chapa eleita, mas manteve a diplomação dos políticos até que o TRE-PB julgue possíveis recursos. Se a decisão for mantida, Gado Bravo deverá ter novas eleições.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui